KARMA E DHARMA – 2ª PARTE

KARMA E DHARMA À LUZ DO ESPIRITISMO

Na visão espírita cada ser humano é um espírito imortal encarnado que herda as conseqüências boas ou más de suas encarnações anteriores. Embora Allan Kardec não tenha usado em tempo algum a palavra KARMA ou qualquer de suas variações, esta veio a ser incorporada ao jargão espírita, por alguns espíritas, para designar o nível de evolução espiritual de cada indivíduo, de acordo com as circunstâncias favoráveis ou desfavoráveis que venha encontrar.

Para melhor explicar essa situação, o Espiritismo apresenta um conceito mais abrangente: a Lei de Causa e Efeito.

Enquanto que normalmente o conceito de KARMA  sugere uma dívida a  ser resgatada, a Lei de Causa e Efeito apresenta a ideia de que o futuro depende das ações e decisões do presente. Uma causa positiva gera um efeito positivo, enquanto que uma causa negativa gera um efeito igualmente negativo.

karma 6

DETERMINISMO X LIVRE -ARBÍTRIO

Determinismo  é doutrina que afirma serem todos os acontecimentos – inclusive vontades e escolhas humanas – causadas por acontecimentos anteriores. O indivíduo faz exatamente aquilo que tinha que fazer e não poderia fazer outra coisa; a determinação de seus atos pertence à força d outas causas, externas e internas. É a principal base do conhecimento científico da Natureza. A chuva e o raio não surgem por acaso, a semente não germina sem razão. O mundo físico e biológico são pois regidos pelo Determinismo, principalmente no nível macroscópico.

O Livre-Arbitrio, doutrina oposta ao  Determinismo (fatalismo, Destino), que declara a vontade humana livre para tomar decisões e determinar suas ações. Diante de várias situações o homem pode escolher racionalmente e agir livremente de acordo com a escolha feita. Exige, portanto capacidade de discernir e liberdade interior.

O animal e o selvagem vêem as coisas com imediatismo, sempre buscando satisfazer seus instintos e impulsos primários, o civilizado poderá ter múltiplas escolhas a fazer.

Mas as condições mentais de um indivíduo lhes impõem limitações em seu livre-arbítrio, tais como impulsos, hábitos, vícios, inércia, modismo, etc, tolhem e diminuem a liberdade, mas não eliminam as responsabilidades pelos seus atos.

livre-arbítrio é uma conquista evolutiva, com ele desponta um fatos essencial: a responsabilidade que gera conseqüência pelos atos praticados.

Transcrevendo um trecho do LIVRO DOS ESPÍRITOS – Allan Kardec:

“A fatalidade existe unicamente pela escolha que o Espírito fez, ao encarnar, desta ou daquela prova para sofrer. Escolhendo-a, institui para si uma espécie de destino, que é a conseqüência mesma da posição em que vem a achar-se colocado. Falo das provas físicas, pois, pelo que toca às provas morais e às tentações, o Espírito, conservando o  quanto ao bem e ao mal, é sempre senhor de ceder ou de resistir. Ao vê-lo fraquejar, um bom Espírito pode vir-lhe em auxílio, mas não pode influir sobre ele de maneira a dominar-lhe a vontade. Um Espírito mau, isto é, inferior, mostrando-lhe, exagerando aos seus olhos um perigo físico, o poderá abalar e amedrontar. Nem por isso, entretanto, a vontade do Espírito encarnado deixa de se conservar livre de quaisquer peias (embaraço, impedimento, obstáculo)”.

KARMA está vinculado ao processo reencarnatório. É a sucessão das vidas que produz o encadeamento de causas e efeitos característicos da vivência ordinária. Assim, cada existência será mais ou menos feliz, ou mais ou menos desgraçada, em função dos atos que foram praticados pelo indivíduo, em vidas anteriores.

Entretanto, não se trata propriamente de uma espécie de Pena de Taliãotipo “olho por olho, dente por dente”. Muitos tem essa falsa interpretação acerca do KARMA,  que não é nada disso, absolutamente. Sem ser direta e especificamente punido em função de cada falta cometida, o indivíduo nem por isso deixará de expiar carmicamente os erros e crueldades cometidos. Mas ele o fará sem aquele aspecto de vingança, que teria uma sanção imediata prescrita pela Pena de Talião.

DHARMA se refere, geralmente ao exercício de uma tarefa espiritual, como também significa ordem social, conduta reta, ou, simplesmente virtude. Pode ser entendido como ações virtuosas feitas em vidas passadas que serão cotizadas em favor do indivíduo em seu processo reencarnatório.

karma 5

CAUSA E PROPÓSITO DO DESTINO

Para o indivíduo que atravessa um momento de sofrimento agudo em sua existência, nada pode ser mais inoportuno e desagradável do que a racionalização e explicação dada por alguém de que as causas de sua dor se embasam em eventos passados nesta ou em alguma vida pregressa. Mas não ha dúvida que para a compreensão e absorção do sofrimento o KARMA – a causa, e o DHARMA – o propósito dos eventos, devem ser estudados com muita cautela e estabilidade, para jamais atormentar o sofredor com racionalizações e explicações em momento de intensa dor.

Quanto mais o indivíduo anular o seu KARMA,  mais tomará consciência do seu DHARMA e mais conseguirá alinhar sua vida com ele. Está claro para todos que os eventos penosos que ocorrem na vida de um indivíduo constituem uma manifestação do KARMA, a colheita de causas passadas. A colheita dos frutos amargos, cujas sementes ele próprio plantou nesta ou em existências pretéritas.

O que não está tão claro

é que o sofrimento tem também propósito dármico, tem o objetivo de eliminar o KARMA e  de direcionar a alma e produzir maior sensibilidade e empatia. Só na escola do sofrimento é possível desenvolver empatia com aqueles que sofrem sores semelhantes.

Os grandes Seres Benfeitores da humanidade tem esse sentimento de empatia em forma permanente e em um grau extraordinariamente alto, sofrendo intensamente, em função disso, todas as dores da humanidade.

Essa mescla de sentimentos e percepções faz com que os Grandes Avatares sintetizem o sofrimento e o êxtase de uma sensação unificada e fora da compreensão humana, como se o sofrimento fosse o travo amargo de um vinho tinto saboroso. Diziam os antigos, com uma sabedoria que ultrapassa as próprias palavas: “O vinho é amargo, mas tem o sabor da vida”.

Finalizamos com essa constatação a segunda parte das considerações sobre o nosso tema.

karma 4

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s